12º Kenting Tai Situpa

Quando o 16º Gyalwang Karmapa estava em Beijing para discutir os acontecimentos do Tibete, ele teve uma visão de Mahakala a respeito do renascimento de Kenting Tai Situpa. Lá, o Gyalwa Karmapa escreveu uma carta de predição para a descoberta do 12º Kenting Tai Situpa Pema Dönyo Nyindje Wangpo. O Gyalwa Karmapa prognosticou precisamente os sinais que envolveriam o local e nascimento de Kenting Tai Situpa. Da mesma maneira, o 11º Kenting Tai Situpa Pema Wangtchog descreveu as circunstâncias da sua próxima encarnação antes de morrer. Um grupo de busca descobriu rapidamente o 12º Kenting Tai Situpa.

O 12º Kenting Tai Situpa, Pema Dönyo Nyindje Wangpo, nasceu no ano do cavalo de madeira (1954)) na seção Pal Yul da província de Dergue em uma família de agricultores. No dia do seu nascimento, a região inteira testemunhou dois halos solares iluminando o céu. Os detalhes do seu nascimento estavam totalmente de acordo com a previsão feita pelo 16º Gyalwa Karmapa.

Ele foi levado ao monastério de Palpung e aos dezoito meses foi entronizado pelo 16º Gyalwa Karmapa, também pelo Rei de Dege com seus ministros, representantes do Dalai Lama e todos os Rinpotches Kagyu, representantes da China estavam presentes. Nessa época, ele já tinha reconhecido claramente seus atendentes e discípulos.

Com cinco anos de idade, Kenting Tai Situpa foi para Tsurphu. Pela primeira vez, Kenting Tai Situpa auxiliado pelo 9º Sangye Nyenpa Rinpotche realizou a cerimônia da Coroa Vajra Vermelha no aposento do 16º Karmapa. Com seis anos de idade, devido às condições políticas e por recomendação do 16º Gyalwa Karmapa, ele fugiu do Tibete. Viajou primeiramente para o Butão e, mais tarde, juntou-se ao Gyalwa Karmapa no Monastério de Rumtek, Sikkim, India.

Logo depois de chegar ao Sikkim, Kenting Tai Situpa contraiu tuberculose. Após receber tratamento médico em Darjeeling, ele retornou ao Sikkim. Como a maioria dos refugiados tibetanos, ele lutou para sobreviver e recebeu ajuda de organizações assistenciais. Recebeu todas as transmissões de linhagem do 16º Gyalwa Karmapa que é o Vajra Dhara do 12º Kenting Tai Situpa, além disso, algumas das instruções essenciais foram recebidas do 9º Sangye Nyenpa Rinpotche, Dilgo Kyentse Rinpotche, Kalu Rinpotche e Saljay Rinpotche. Grande parte dos ensinamentos filosóficos foi recebida do Muito Venerável Thrangu Rinpotche, dos precedentes Drikung Khenpo Kontchog e Khenpo Khedrub e de muitos outros mestres sob suas orientações.

Em 1974, com 21 anos, foi para o Ladakh a convite do Drupon Detchen Rinpotche precedente e permaneceu lá por um ano para girar a roda do Dharma. Em 1975, com 22 anos, ele assumiu suas responsabilidades tradicionais, criando o projeto monástico Sherab Ling, a pedido de seus seguidores tibetanos que tinham se estabelecido em Bir, ao norte da Índia.

Em 1980 ele fez sua primeira viagem à Europa e, desde então, tem viajado pela América do Norte, Europa e Sudeste da Ásia ensinando meditação e filosofia budista a pedido de organizações budistas, humanitárias e várias religiões.

Em 1983, Kenting Tai Situpa fundou o Instituto Maitreya, um fórum não sectário para diálogo inter-religioso. Neste ano, ele também recebeu o Rintchen Terdzo, o Grande Tesouro dos Ensinamentos Secretos, iniciações e ensinamentos do 1º Kalu Rinpotche. No começo de 1984, o Kenting Tai Situpa fez seu primeiro retorno ao Tibete. "Foi uma viagem religiosa completamente apolítica", ele enfatizou, "motivada pelas necessidades espirituais das pessoas". Ele foi convidado para visitar um número muito grande de monastérios de todas as tradições, onde deu ensinamentos e iniciações, um dos quais foi assistido por cerca de 100.000 pessoas – o que é surpreendente devido à grande distância o Monastério de Palpung.

Em 1989, ele liderou a Peregrinação para a Paz Ativa para inspirar as pessoas a assumir um envolvimento ativo em prol da paz mundial. Foi realizado um documentário do evento que incluiu uma audiência com o Papa João Paulo II, uma troca de idéias com monges beneditinos em Assis, preces para a paz em Mt. Shasta e um diálogo inter-religioso com líderes espirituais, como o Dalai lama, Shankar Acharya de Dhurga, Acharya Muni Sushil Kumar e grande parte das principais religiões do mundo na Índia.

Ele retornou ao Tibete em 1991 onde ordenou mais de 1200 monges e monjas e transmitiu uma série de iniciações, (Dam Nga Zod), que foram assistidas por cerca de 65 lamas reencarnados, cerca de 5000 sanghas ordenadas de 92 monastérios e inúmeros laicos.

Seu mestre-raiz, o 16º Gyalwa Karmapa Rigpe Dorje, faleceu em 1981 e em 25 de junho de 1985 renasceu em uma família de nômades no Tibete Oriental. Em 1992, seguindo os métodos tradicionais, o 17º Gyalwa Karmapa Ogyen Trinle Dorje foi reconhecido de acordo com a carta de predição deixada pelo 16º Gyalwa Karmapa para o 12º Kenting Tai Situpa. Também reconhecido pelo Dalai Lama e logo após entronizado no monastério de Tsurphu no Tibete pelo 12º Kenting Tai Situpa auxiliado por Goshri Gyaltsab Rinpotche.

Como um mestre budista, ele viajou regularmente pelo mundo dando ensinamentos e iniciações a pedido dos Centros de Dharma e manteve cursos de longa duração sobre o Mahamudra para apresentar o mais profundo e sagrado dos ensinamentos da linhagem Karma Kagyu.

Em janeiro de 2000, o 17º Gyalwa Karmapa, Ogyen Trinle Dorje, realizou uma fuga ousada do seu monastério no Tibete, para conseguir continuar seus estudos religiosos. O Kenting Tai Situpa é agora o orientador do seu treinamento espiritual e dá todas as transmissões da Linhagem do Mahamudra no exílio perto de Dharamsala, Índia.

Em 2006, de agosto a novembro, Ele deu as iniciações de Rinchen Terdzo e ensinamentos para o principal receptor, o 4º Djamgon Kongtrul Rinpotche cuja encarnação anterior o 1º Djamgon Kongtrul Rinpotche revelou e reuniu esses ensinamentos, entre mais de 2.000 pessoas reunidas incluindo 50 Rinpotches encarnados, cerca de 1500 da sangha ordenada e muitos devotos de 27 países.

O 12º Kenting Tai Situpa continua as tradições da linhagem de prática dos Kenting Tai Situpas. Um mestre budista renomado, treinando sucessivamente a próxima geração de mestres budistas. Em um nível mais pessoal, o Kenting Tai Situpa é um erudito, poeta, calígrafo, artista, autor, arquiteto e praticante de geomancia.

Endereço

Rua Visconde de Caravelas, 115

Humaitá - 22271-041

Rio de Janeiro - RJ

Contato
Siga-nos
  • Facebook Social Icon
  • Instagram Social Icon
  • YouTube Social  Icon

Afiliado à:

Karma Triyana Dharmachakra (KTD)
North American Seat of His Holiness the 17th Gyalwang Karmapa

Ogyen Trinley Dorje

Que todos possam se beneficiar!

© 2007 - 2020 KTT Brasil. Todos os direitos reservados.