Sobre Retiro, Prática e Motivação

Para começar, o grande motivo pelo qual  não temos a

oportunidade de fazer um retiro, para emular o estilo de vida de renúncia radical que é encorajado nessas linhagens (Kagyu e Nyingma) , é ter como prioridade esta vida. Nós priorizamos sucesso e prazer baseados na fixação da permanência desta vida, o que é um erro. Isso é confusão, e nos casos mais extremos, tendemos a nos fixar nisso como a coisa mais importante uma vez que está bem na nossa cara.  Portanto, priorizamos o sucesso nesta vida, e como resultado, não temos tempo para praticar, seja um retiro solitário ou não.

 

Uma vez que você percebe que tudo em que você se agarra nesta vida e neste mundo não é real,  é impermanente, insubstancial, e que sua percepção dessas coisas como reais e valiosas é uma confusão, automaticamente você encontrará tempo e todos os tipos de circunstâncias para praticar. Se não tivéssemos nascido como seres humanos, esse não seria o caso. Ou se nós tivéssemos nascido como seres humanos mas, não tivéssemos acesso a professores ou ensinamentos, esse também não seria o caso. Mas nós acumulamos todas essas raras circunstâncias. Nascemos humanos, temos acesso aos professores e temos acesso aos ensinamentos. A despeito do fato de termos a oportunidade de buscar qualquer quantidade de prática que desejemos fazer, a razão pela qual não o fazemos é simplesmente porque nós nos atamos com nossa própria fixação na permanência desta vida e em nossas prioridades equivocadas.

 

Falando de forma prática, isso significa que adotar um estilo de vida de renúncia, viver em retiro e praticar intensivamente, é claro que é o melhor a se fazer. Mas mesmo que não possa fazer isso, você ainda pode arranjar tempo, advindo de priorizar a prática. Mesmo que seja pouco tempo de manhã cedo, ou tarde à noite, há sempre algum tempo para praticar. Ademais, existem muitas práticas que podem ser feitas em diferentes circunstâncias, por exemplo, a prática de meditação de Tchenrezig, a recitação de mantras tais como OM MANI PEME HUM, o mantra de Guru Rinpoche, o mantra de Amitabha e assim por diante. Porém, para serem efetivos, sua motivação tem que ser que você está fazendo esta prática, qualquer que seja, para estabelecer todos os seres no estado da budeidade. Por ter essa motivação e fazer mesmo uma pequena quantidade de prática, haverá grande benefício pois definitivamente você irá progredir ao longo do caminho do despertar completo.

 

Entretanto, enquanto o melhor é fazer um retiro, existem dois diferentes resultados avindo deste, e dependem basicamente de sua motivação para fazê-lo. Alguém pode fazer um retiro longo pensando, "eu devo estabelecer todos os seres na budeidade. Para assim o fazer, eu mesmo tenho que obter a budeidade, e estou disposto a fazer qualquer coisa necessária para obter isso o mais rápido possível." Uma pessoa com este tipo de motivação para fazer um retiro, vai ganhar muito com isso.  Por outro lado, você poderia entrar em um retiro, especialmente em uma situação onde se dá dentro de uma instituição, pensando, "eu quero fazer este retiro para que eu possa aprender um pouco sobre o Dharma, ao menos algumas palavras e alguns truques, para que quando eu sair, possa tornar-me um lama e ter uma certa posição, provavelmente comida de graça e impressionar as pessoas". Se esta é sua atitude, então é praticamente melhor não fazer o retiro, por que você sairá com um pouco de conhecimento e uma montanha de arrogância.

 

 

 

Trecho retirado do livro "Karma Chakme`s Mountain Dharma Volume One",  as taught by Khenpo Karthar Rinpoche; KTD Publications. 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Endereço

Rua Visconde de Caravelas, 115

Humaitá - 22271-041

Rio de Janeiro - RJ

Contato
Siga-nos
  • Facebook Social Icon
  • Instagram Social Icon
  • YouTube Social  Icon

Afiliado à:

Karma Triyana Dharmachakra (KTD)
North American Seat of His Holiness the 17th Gyalwang Karmapa

Ogyen Trinley Dorje

Que todos possam se beneficiar!

© 2007 - 2019 KTT Brasil. Todos os direitos reservados.